O Prémio FAZ Ciência é uma iniciativa anual da FAZ em parceria com instituições, organizações ou associações médicas ou científicas. O Prémio pretende distinguir os melhores projetos de investigação translacional (que englobe pesquisa empírica e trabalho de campo) em diversas áreas terapêuticas. O montante do prémio varia entre os cinco e os 35 mil euros, sendo definido pela comissão de avaliação consoante os projetos apresentados.


1.ª Edição Prémio FAZ Ciência

A primeira edição do Prémio FAZ Ciência acontece em parceria com a Sociedade Portuguesa de Oncologia e visa premiar projetos de investigação translacional em Imuno-Oncologia. As candidaturas decorrem até 31 de dezembro de 2017, sendo os vencedores anunciados em março de 2018.


Cerimónia de entrega do Prémio FAZ Ciência 2018

Agenda

17h30

Receção aos convidados

17h40

Abertura

Dr. Jesús Ponce, Presidente do Conselho de Administração da Fundação AstraZeneca

Dr. Paulo Cortes, Presidente da Direção da Sociedade Portuguesa de Oncologia e Presidente da Comissão de Avaliação do Prémio FAZCiência 2018

18h00

Desafios para a prática médica e a investigação clínica na era da medicina de precisão

Prof. Doutor Manuel Sobrinho Simões, Diretor do IPATIMUP

19h00

Entrega do Prémio FAZCiência 2018

Dr. Paulo Cortes, Presidente da Direção da Sociedade Portuguesa de Oncologia e Presidente da Comissão de Avaliação do Prémio FAZCiência 2018

19h30

Cocktail


A cerimónia de entrega do Prémio de Investigação FAZ Ciência 2018 decorreu a 06 de Março, no Centro Cultural de Belém.

Comissão de Avaliação

Conheça os cinco elementos que fazem parte da Comissão de Avaliação:

Carmo Fonseca


Maria do Carmo Fonseca é Professora Catedrática na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e Presidente do Instituto de Medicina Molecular. Licenciou-se em Medicina (1983) e é doutorada em Biologia Celular (1988) pela Universidade de Lisboa. Recebeu numerosas distinções, entre elas o Prémio Pessoa (2010) e o Prémio Gulbenkian de Ciência (2007). É membro da European Molecular Biology Organization, e das Academias Portuguesas de Ciências e de Medicina. Serve como Editora do Journal of Cell Science e é autora de mais de mais de 150 artigos de investigação, que totalizam cerca de 9 mil citações (h índex 52). A sua investigação tem por objetivo compreender o papel das moléculas de RNA na regulação da expressão genética e sua aplicação como biomarcadores e alvos terapeuticos.

Gabriela Sousa


Gabriela Maria da Cunha Sousa nasceu a 25 de dezembro de 1969, em Coimbra. Licenciada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra em 1994. Frequentou o internato complementar de Oncologia Médica no Instituto Português de Oncologia Francisco Gentil, em Coimbra, de 1997 a 2002. Desde 2002 exerce as suas funções profissionais de especialista de Oncologia Médica no Instituto Português de Oncologia de Coimbra, tendo obtido o grau de Consultor em 2015. Tem dedicado a sua atividade nas áreas do cancro da mama, cancro urológico e síndrome hereditário de cancro da mama/ovário.
Desde outubro de 2017 é a Diretora do serviço de Oncologia Médica do IPO Coimbra.
É Presidente da Sociedade Portuguesa de Oncologia, no triénio 2015-2017
Membro efetivo da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO) desde 1999.

José Carlos Machado


José C. Machado (JCM) é vice-presidente do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (Ipatimup), onde também ocupa a posição de Coordenador de Grupo. É Professor Associado da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. O principal interesse científico é a genética molecular do cancro e a genética de doenças complexas, sendo internacionalmente reconhecido pela investigação na área do cancro gástrico associado à infeção por Helicobacter pylori. A principal questão científica subjacente à investigação do grupo de que é coordenador é perceber como é que a informação genética é transferida entre células cancerosas, e que impacto tem este processo sobre a heterogeneidade, a diversidade e plasticidade das células cancerosas. JCM recebeu suporte financeiro competitivo de agências como a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), Agência de Inovação (ADI), Ministério da Saúde e Comunidade Europeia (EC). JCM é também responsável pela unidade de prestação de serviços de diagnóstico do Ipatimup. Esta unidade tem acreditação CAP (Colégio Americano de Patologistas), ISO15189:2014 e ISO17025:2005 e é um laboratório de referência em Portugal para a deteção de biomarcadores em cancro, diagnóstico genético e anatomia patológica. À data de Outubro de 2017, JCM (Scopus Author ID 7102792651) é co-autor de 138 publicações científicas em revistas internacionais com arbitragem científica, com um número total de 8209 citações e um h-index de 38.

José Dinis


Jose Dinis Silva nasceu a 24 de Marco de 1967 em Vale de Cambra no Distrito de Aveiro.
Concluiu a licenciatura em Medicina em 1991 no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto.
Entre 1992 e 1993, fez o Internato Geral no Hospital Geral de Santo Antonio na cidade do Porto.
Entre 1994 e 1999, fez o Internato Complementar de Oncologia Medica no Instituto Português de Oncologia do Porto Francisco Gentil (IPO-Porto).
Desde 1999, exerce a especialidade de Oncologia Medica no IPO-Porto, tendo obtido a categoria de Assistente Graduado em 2008 e o grau de Consultor em 2013.
Responsável pela área Medica da Clinica de Tumores da Cabeça e Pescoço desde 2005.
Paralelamente também exerce a sua atividade no âmbito da Clinica de Tumores da Pele, Tecidos Moles e Osso, bem como na Clinica de Tumores Endócrinos.
Desde Abril de 2006, é responsável pela Unidade de Investigação Clinica do IPO-Porto.

Paulo Cortes

Licenciado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa (FML) em 1986. Realizou o Internato de Especialidade de Medicina Interna no Serviço de Medicina I do Hospital de Santa Maria (HSM).
Desde 1990 trabalhou simultaneamente no Hospital de Dia de Oncologia Clínica do HSM. Em 1991, foi bolseiro da Comissão das Comunidades Europeias na Clinical Oncology Unit, do Guys Hospital em Londres.
Em 1994, obteve o título de Especialista em Medicina Interna, com a classificação final do Internato Complementar de 19,4 valores. Tem o título de Especialista em Medicina Interna (1995) e de Especialista em Oncologia Médica (1997), pela Ordem dos Médicos. Assistente Hospitalar de Oncologia Médica desde 1995 e Assistente Hospitalar Graduado de Oncologia Médica da Carreira Médica Hospitalar, com o Grau de Consultor, no Serviço de Oncologia Médica do HSM até 2015.
Orientou estágios de Oncologia de colegas de outras especialidades e de internos da especialidade de Oncologia. De 2002 a 2007, lecionou no Curso de Mestrado em Cuidados Paliativos, na FML.
Desde 2009 é o Coordenador da Unidade de Oncologia e do Hospital de Dia Médico do Hospital dos Lusíadas.
Vice-Presidente da Comissão de Ética do Hospital dos Lusíadas.
Membro da Direção da Sociedade Portuguesa de Senologia.
Vice-Presidente da Sociedade Portuguesa de Oncologia.
National Representative de Portugal na ESMO ( European Society of Medical Oncology).